Camila Maciel Cardoso

Especialista em insights do consumidor com foco em inovação e marcas premium no Grupo Heineken, Camila Maciel Cardoso carrega consigo a vontade de viver e aprender coisas novas. Isso ficou aparente logo que deixou sua cidade natal, São José dos Campos (SP) e entrou no primeiro emprego, no método Kumon, onde também fez suas primeiras aulas de inglês fora da escola. Conciliava o trabalho com o curso de graduação em marketing na Universidade de São Paulo, onde também se envolvia em atividades de iniciação científica e monitoria. Todas estas atividades, a ajudavam a se manter financeiramente, juntamente com o apoio da Embraer, como ex-aluna do instituto de educação e pesquisa da empresa.A primeira oportunidade de trabalhar em uma grande empresa veio com o estágio, na Nielsen, empresa de pesquisa de mercado. “Comecei a perceber e reconhecer meu lugar como mulher e negra – reconheço que sou uma mulher negra de pele mais clara,” ressalta, referindo-se à pequenas agressões verbais e comportamentos machistas. Citando Djamila Ribeiro em seu livro Pequeno Manual antirracista, Camila frisa que “é impossível não ser racista tendo sido criado numa sociedade racista”, e afirma que alguns comportamentos estão inseridos na sociedade.“Meu papel atuante junto ao grupo de inclusão e diversidade é plantar uma semente e criar consciência sobre esse tema dentro do universo da empresa em que trabalho, lembrando que as empresas são parte da sociedade civil e são constituídas por pessoas. Eu acredito num futuro em que mulheres negras e pretas sofrerão menos agressões verbais, físicas e psicológicas”. No ano seguinte ao ingresso no estágio na Nielsen, Camila conseguiu uma bolsa de mérito pela USP Inovação para participar de um programa de intercâmbio na cidade de Porto, em Portugal, no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, onde teve seu primeiro contato mais aprofundado com o ecossistema de Inovação. “A experiência do intercâmbio me trouxe uma outra visão de mundo, eu fui a primeira pessoa da minha família nuclear a viajar e morar fora do Brasil”, conta.Logo após o retorno de Portugal, foi recontratada pela Nielsen e antes de concluir a graduação foi efetivada pela empresa, onde ficou até 2016, para entrar na gigante de produtos de higiene pessoal Kimberly-Clark. Como analista sênior, passou a focar na perspectiva do cliente, atuando na área de consumer insights na categoria de fraldas. Em 2018, entrou no Grupo Heineken, como especialista, com foco em inovação e produtos não alcoólicos. Depois de um ano, passei a trabalhar também com cervejas premium. Em abril de 2020, assumiu a liderança do grupo Origens da empresa, que discute inclusão e diversidade no aspecto de raça dentro da companhia.Segundo a joseense de 28 anos, seu trabalho na Heineken foca em reduzir incertezas: “Faz parte do processo de inovação cometer erros, [e usar a abordagem de] ‘test, learn and reapply’, mas muitas vezes numa grande indústria alguns erros podem custar muito dinheiro”, ressalta a especialista, que busca entender junto aos consumidores, qual o potencial de possíveis inovações e como elas podem ser melhores para atender a essas necessidades e, assim, contribui para minimizar estas potenciais incertezas. Acredita na inovação enquanto um processo bem executado para resolver um problema, construído passo a passo. É através de sua visão pessoal de inovação que Camila espera contribuir para um mundo melhor. “Acredito numa construção gradativa, o meu mundo são as pessoas – família, comunidade, amigos, empresa – e os seres ao meu redor, e as ações são as pequenas do dia a dia, como cuidar do planeta por meio do que eu consumo.”

Fonte: forbes.com.br