Aldemir Cruz

Teve muitas dificuldades para se manter na escola. Só conseguiu graças aos bicos que fazia como engraxate, vigia de carros, feirante e office boy. Nasceu e foi criado em Osasco, município da Grande São Paulo.“A maior dificuldade, no entanto, foi a falta de orientação educacional e profissional. Precisei bater a cabeça diversas vezes e me aventurar muito antes de alinhar minha carreira e buscar meus objetivos. Cheguei a ser rejeitado para uma posição de propagandista em uma farmacêutica nacional pela cor da minha pele”.

Cursou Ciências Econômicas , e soma 15 anos na biofarmacêutica norte-americana. Foi estagiário, representante e gerente de vendas, atuou no marketing, fez intercâmbio e mestrado em Administração. Para Aldemir, a inovação pode surgir nos laboratórios e computadores, mas também nos times de trabalho – um ambiente aberto e diverso que propicie pequenas ou grandes revoluções. “A inovação pode se dar pela cultura, processos, produtos ou serviços. Ou seja, o melhor é que a corporação tenha inovação no seu DNA, em toda cadeia, pois ela é capaz de garantir sua longevidade. “Os  objetivos de Aldemir passam pelo desejo de contribuir como um exemplo para jovens negros e periféricos. “Estou certo de que quanto mais oportunidades eles tiverem, mais acelerado será o processo de desenvolvimento do Brasil como nação. O caminho não é e não será fácil, mas temos que colocar nossos valores sobre inovação à disposição para conquistar uma sociedade mais igualitária.”

Fonte: forbes.com.br